• MERCADO
    por Denise de Almeida

Lubrificantes

com API CG-4 só podem ser comercializados até junho

 

Até o final de junho, os lubrificantes automotivos com classificação API SJ e API CG-4 não poderão mais ser comercializados pelos postos. A partir de 1º de julho, os revendedores que ainda dispuserem de produtos com essa especificação em seus estabelecimentos devem descartá-los, dando a destinação correta, como já fazem com o lubrificante usado e contaminado.


Caso contrário, estarão sujeitos a aplicação das penas previstas em lei. Importante ressaltar que os produtos com essas características não devem nem ser mantidos em estoque, já que serão considerados vencidos, em condições impróprias para consumo e, portanto, também passíveis de aplicação de multas.


A ação é consequência de ato da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis) que, em 31 de dezembro passado, elevou o nível de desempenho mínimo dos lubrificantes automotivos comercializados no país.

 

 

 

 

 

 

Significado das siglas

As siglas que aparecem nas embalagens dos lubrificantes representam entidades internacionais responsáveis pela elaboração das normas para a sua classificação, de acordo com seu uso. SAE, por exemplo, vem de Society of Automotive Engineers. É a mais antiga classificação para óleos de motor e de transmissão; define faixas de viscosidade (medida que indica a resistência ao escoamento – 30W, 10W30, SAE 10W40 etc. –, particularmente importante em países onde o óleo deve ser capaz de se manter fluido em baixas temperaturas), mas não leva em conta os requisitos de desempenho.


 Já a sigla API (American Petroleum Institute) indica a especificação de desempenho. Os motores que utilizam velas para gerar a combustão devem ser lubrificados pelos óleos API S, de ‘Service Station’. Já para motores a diesel é utilizada a sigla API C, de ‘Commercial’. Dentro destas especificações, a segunda letra (API SL, SJ, SH, SG etc.) define o desempenho, onde a evolução das letras representa a evolução da qualidade dos óleos, onde SM é melhor que SL, que por sua vez é melhor que SJ e assim por diante.


Há ainda as classificações europeia, ACEA (Association des Constructeurs Européens de l´Automobile), e japonesa, JASO (Japanese Automobile Standards Organization).








Publicidade